Brenda Almeida

Me graduei em Jornalismo e por um bom tempo acreditei que uma redação regada à pautas diárias (e levianas) seria o cenário-chave do meu dia a dia profissional. E foi! Bem no início de tudo, quando a comunicação tonou-se algo instável, provocante e agridoce.

6 anos depois, eis me aqui. Sabendo mais do que antes, porém, menos do que amanhã. Vida de quem eleva pesquisas a nível global e precisa entender, criar e compartilhar tendências. E também, insignificâncias.

Social media, produtora de conteúdo, heavy user, revisora, pesquisadora de mercado quando necessário, entusiasta à roteirista e ainda subo umas campanhas. Assim são as várias "eu". E estou pronta para ocupar qualquer espaço no mundo disposto a retribuir com o mesmo que ofereço: respeito, entrega, confiança e cabeça. Sendo o último pra somar, idealizar ou fazer existir. 

Dividindo pensamentos, curiosidades e também coisas (des)importantes!

Não cabe mais nada na minha lista (mentira!)

Não cabe mais nada na minha lista (mentira!) Eu acredito que algumas reflexões fora do comum são fundamentais na nossa rotina. Pois veja bem, hoje acordei saudosista pelas fitas VHS. Até a minha memória olfativa foi aguçada ao pensar nas obsoletas caixinhas de plástico e rolos de papel. Simplesmente, me dei conta de como os serviços de streaming atuais exploram a necessidade de sequência da obra. Anos atrás, o limite terminava nas trilogias, e isso, se a produção ofertasse milhões de cifrões e passasse no especial de Fim de Ano da Globo (brincadeira... mas nem tanto...). Diversos dos meus filmes favoritos e antigos têm uma vida útil de 120 minutos. Início, meio e fim em 2 horas. Acabou. Mas hoje, me vejo refém de continuações cinematográficas e deduzo: sou definitivamente prisioneira do catálogo digital. Nunca fico sem ter o que assistir na Netflix, Amazon, HBO, Globoplay e outros. Ok, estamos na era das séries, renovações de temporada são uma obviedade, porém, a questão é se há MESMO necessidade de produzir sequências em escala desmedida. Nem mesmo os especiais de Natal, algo tão sazonal, escaparam da produção em larga escala de sequências, uma vez que a Netflix tornou esse nicho muito lucrativo e chegou dizendo "Olá" à Hallmark. Isso sem falar na rivalidade entre as plataformas e a pressão que cai radiante sob os olhos (e bolso) do consumidor. O mercado do entretenimento audiovisual nos faz reféns de seus produtos. Novidade ou não, estamos sempre prontos para dar o play. Estamos resistentes em aceitar histórias de 5 episódios. Cadê a continuação? E a 2° temporada? Já renovou? Olhar para o nosso comportamento imediatista, talvez decepcione as fitas VHS. Que elas sigam descansando em paz, seja lá onde estiverem.

Por que homens devem cuidar da pele e ir ao dermatologista com frequência?

Outra diferença muito notável é o suor. O corpo masculino possui glândulas sebáceas em maior concentração, e, por isso, homens costumam ter a pele mais oleosa, com poros dilatados e tendência à acne. Para se ter noção, a produção de suor do homem pode chegar ao dobro da taxa feminina. Calvície lidera as idas aos consultórios A calvície ou alopecia androgenética é um problema que pode afetar tanto os homens quanto as mulheres. No entanto, essa queda excessiva de cabelo e a falta de repo

Publicidade natalina: as três melhores campanhas segundo o “DataSENSO”

Ah… o Natal! Antes de toda a magia e emoção que envolvem o mês de dezembro, é preciso lembrar que trata-se da data comercial mais importante do ano. Cerca de 90% da publicidade natalina tem um apelo emocional forte, e que geralmente vem acompanhado de uma mesa posta, a família reunida, exalando felicidade e carinho. Bom, tem quem busque um conceito diferentão para evitar ao máximo os clichês sentimentais de amor e união, mas no final das contas sempre há uma mensagem otimista. Afinal, é o momen

Rock in Rio 2019: o festival de marketing

O Rock in Rio 2019 chegou ao fim e como já é de praxe, as ações envolvendo o festival deram o que falar. Desde 2011 o evento vem atraindo a atenção não só dos amantes de música, mas também de grandes marcas e patrocinadores. E se tem algo que vem sendo MUITO bem trabalhado durante todo o festival, é o marketing nas mídias digitais. Já que é assim, vamos falar um pouco sobre as ações realizadas para promover empresas e o evento em si. Continue lendo porque tem uns bizus bem bacanas. Vamos começa

Setembro Amarelo e Marketing: uma relação delicada

Como discutir a prevenção do suicídio com responsabilidade, cautela e bom senso na sua empresa e dia a dia. Aproximadamente e segundo a OMS (Organização Nacional de Saúde), 800 mil pessoas morrem de suicídio por ano. Na maioria dos casos, jovens. Este é um tema polêmico e que precisa ser tratado com muito cuidado, principalmente, durante o Setembro Amarelo, onde milhares de marcas e empresas abraçam a causa, porém, muitas vezes de forma superficial e visando apenas a autopromoção. A discussão

#NiUnaMenos

Sobre o caso Tatiane Spitzner. Ontem li "Quem mandou se envolver com um vagabundo qualquer?" Qualquer. O cara acredita que a morte da advogada foi um caso isolado. O cara acredita que homens com o perfil do ASSASSINO de Tatiane são uma exceção à regra. Como sei que por aqui tem gente que partilha da mesma ignorância, fiz um levantamento que não equivale a 0,001% dos casos de feminicídio já registrados SÓ este ano. Adendo: as semelhanças não são meras coincidências. ⚘Selene Veras Roque - Morta com 26 facadas pelo marido I Junho de 2018 I Piauí ⚘Aline Silva Ramos - Torturada e morta pelo marido I Abril de 2018 I Piauí ⚘Débora Forcolen - Morta a tiros pelo marido I Junho de 2018 I Porto Alegre ⚘Aretha Dantas - Morta com 20 facadas + atropelamento pelo marido I Maio de 2018 I Piauí ⚘Marli Correia da Silva - Morta com 3 facadas pelo ex-marido I Julho de 2018 I Manaus ⚘Janaína Romão Lúcio - Morta a facadas pelo ex-marido I Julho de 2018 I Santa Maria - DF ⚘Edilene Coelho dos Santos - Morta a facadas pelo marido ENQUANTO AMAMENTAVA O SEU BEBÊ DE 22 DIAS. ⚘Claudiane Mota Nascimento - Morta a facadas pelo marido I Abril de 2018 I Salvador ⚘Marta de Jesus Carvalho - Morta a facadas pelo ex-marido e na frente da filha de 3 anos I Abril 2018 I Mato Grosso do Sul ⚘Taila Pimenta Lima - Morta a facadas pelo marido I Junho de 2018 I São Paulo ⚘Natali Melo dos Santos - Morta a facadas pelo marido I Março de 2018 I Grande São Paulo ⚘Katyara Pereira da Silva - Grávida de 5 meses, foi asfixiada pelo namorado I Março de 2018 I Belford Roxo - Baixada Fluminense ⚘Patrícia Koike - Espancada e sufocada até a morte pelo namorado I Abril de 2018 I Nova Iguaçu - Baixada Fluminense Acontece toda hora. Tá acontecendo agora. Não foi um caso isolado. Tatiane e as mulheres citadas NÃO podem ser responsabilizadas por suas mortes. Pra nenhuma delas veio uma placa luminosa em letras garrafais dizendo "ESTE HOMEM É UM ASSASSINO". Luís Felipe não matou sua esposa porque tinha distúrbios de personalidade e não matou por causa do seu posicionamento político (parem com essa abordagem). Luís Felipe era um HOMEM COMUM que se sentiu no direito de espancar e torturar sua esposa até a morte. Fez isso porque achava ter CONTROLE sobre ela, se achava DONO dela. Assim como todos os maridos e namorados de mulheres mortas sobre as mesmas condições de Tatiane. De novo. Homens assim NÃO SÃO UMA EXCEÇÃO À REGRA. São a maioria e estão por toda parte causando um derramamento de sangue. "Ah mas por que não largou o cara antes?" Ao menos se esforce pra entender o significado de RELACIONAMENTO ABUSIVO. Com certeza tem uma mulher do seu lado que já passou ou passa por isso. Conheci e conheço mulheres que vivem numa relação tóxica. Inclusive, pra vocês, desejo força e coragem pra não virar estatística. E se depois de tudo isso você ainda acha que o feminicidío é bobagen e ridiculariza a luta das mulheres, teu problema nem de interpretação é. Tá na alma, filho. Nasce de novo pra ver se assim vem com algum senso de humanidade e empatia. #NiUnaMenos

Posts e Blogs publicados!

Load More Articles

Quer trocar um papo comigo?

Mande um e-mail para brendaalmeidapereira@gmail.com